sábado, setembro 16, 2006

Lavar as mãos na casa de banho...

A conferência de hoje na Universidade da Madeira organizada pela Delegação Regional Ordem dos Economistas trazia duas figuras de peso e de reconhecidos méritos (Miguel Beleza e Maximiano Martins) para debaterem o tão propagandeado objectivo do PSD-M e do Governo Regional. Debater a viabilidade da auto-sustentabilidade da Madeira.
Novamente não apareceu ninguém ligado ao poder ainda que desta vez um dos oradores até seja da área do social-democrata (é pena que a nossa Constituição não permita a existência de partidos regionais pois se o permitisse já há muito que se teria visto o PSD-Nacional dispensar este "regional-socialismo social-democrata").
Do que foi dito percebeu-se perfeitamente que o dita ambição do PSD-M e do Governo Regional de transformar a Madeira na Singapura da Europa, o que na opinião de Miguel Beleza trazia a vantagem de a exemplo de lá sermos obrigados a lavar as mãos quando vamos à casa de banho não passa de poeira e de ruído usado com demagógicos objectivos políticos.
Mas o melhor de tudo foi ainda o debate com especial ênfase no longo tempo de antena usado por um tal de João Fernandes advogado da SDM/CINM (Zona Franca) para vender o seu peixe sem contudo ter feito a pergunta que se esperava que fizesse quando levantou o braço...
EMANUEL BENTO
NB: Ficamos agora à espera da promessa de Maximiano Martins de apresentar os números de quanto o Estado gasta na Região (pensões de quem nunca descontou o suficiente, despesas com serviços ainda sob tutela da República ( Justiça,Administração Interna e Defesa e não só...)

3 Comments:

Blogger Bruder said...

Ser verdadeiramente grande não consiste em comovermo-nos apenas por uma grande causa, mas em encontrarmos grandeza no objeto do valor duma palheira quando a honra nisso está empenhada"

Hamlet, Shakespeare.

4:06 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Fiquei impressionado pela exposição do Dr. Maximiano, os madeirenses deviam conhecer a verdade dos números.

11:32 da tarde  
Anonymous O Alfaite said...

Edward Bernays dizi que "o mecanismo pelo qual as ideias são disseminadas em larga escala é a propaganda, no sentido lato de um esforço organizado para espalhar uma convicção ou doutrina... A propaganda ser boa ou má depende do mérito da causa advogada, e da correcção da informação publicada".

Por isso pergunto: Haverá alguma circunstância que justifique que o futuro dos madeirenses posto em causa? Que razão sustenta a acção de políticos que usam o futuro bem-estar dos madeirenses ou algumas das armas de desenvolvimento como arma de arremesso? Que político de terra queimada é esta que chama ao debate político aquilo que deve ser tratado ao nível de outras esferas, como é o caso da Zona Franca. Qualquer pessoa minimamente informada e consciente sabe que a Zona Franca é um projecto para o desenvolvimento regional... Foi assim na sua criação, no seu crescimento e isso que tem justificado os apoios institucionais como os da UE e da OCDE. Nunca foi um projecto politizado, como provam as várias parcerias de trabalho estabelecidas entre os vários Governos da República e Regional. Porque arrastá-lo agora para esfera da baixa política, um pouco como se está fazendo com outros sectores da Região? Qual o interesse? É a resposta a esta questão que não deve passar despercebida aos olhos dos madeirenses e, em particular,daqueles que se julgam senhores de uma larga perspicácia sobre a política económica e realidade social regional. Eu sou madeirense, gosto de o ser, tenho orgulho naquilo que a ilha conseguiu, lamento o muito que ainda falta fazer e não vou permanecer distraído. Vocês querem?

9:42 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home