terça-feira, setembro 19, 2006

Para a Helena (2)

MILAGRE
Aqui de tão distante
neste dia de prematuro Outono
(a estação em que ao Mundo vim)
a rua os carros as pessoas
passam sem que nada veja
por meu coração ter somente
um rosto
E devagar
com o cuidado que a teia se tece
silenciosa leve e ilusória
toco-te
(para não perder este milagre
de tão simplesmente te amar)

EMANUEL BENTO

1 Comments:

Anonymous Hella said...

Helena 2? Afinal quantas somos? ;)
Da beleza do poema falo-te pessoalmente.
A distância é relativa...daqui a uns dias deixa de existir.
Beijo
Hel

8:19 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home