segunda-feira, setembro 11, 2006

Para a Helena(1)

A mão que agora escreve
entre fumo de cigarro
e este murmúrio leve
que de mim não varro
Procura caminho certo
em palavras turvas tantas
para chegar ao menos perto
dos olhos com que me (en)cantas
São eles que falam e cegam
esta mão que sempre se perde
nestes dedos que a alma pegam
para suspirar o que não ouves
EMANUEL BENTO